pt

Planos revolucionários para um futuro mais verde

Quase dois anos após a adoção pelas Nações Unidas de “Transformando o Nosso Mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, a Zâmbia acolheu o primeiro “Fórum Africano sobre o Crescimento Verde e Inclusivo e a Criação de Empregos Verdes e Dignos no Setor Privado”.

O evento, que teve lugar em Livingstone, na Zâmbia, de 6 a 8 de setembro de 2017, foi organizado conjuntamente pelo Programa de Empregos Verdes da Zâmbia (Zambia Green Jobs Programme, ZGJP),­ pelo Governo da Zâmbia e pelo Governo da Finlândia, em colaboração com o Centro e o Programa de Empregos Verdes da OIT. O fórum foi inaugurado pela Ministra do Trabalho e Segurança Social da Zâmbia, Sra. Joyce Nonde-Simukoko, e contou com a presença de delegados de alto nível, nomeadamente o Ministro do Emprego da Finlândia, Sr. Jari Lindström, a Ministra do Comércio, Relações Comerciais e Indústria da Zâmbia, Sra. Margaret Mwanakatwe, o Embaixador da Finlândia na Zâmbia, Sr. Timo Olkkonen, e o Diretor da OIT para a Zâmbia, Maláui e Moçambique, Sr. Alexio Musindo.

As discussões do Fórum focaram a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 8 e o potencial papel do setor privado na promoção do crescimento verde em África. Começando pelo Programa de Empregos Verdes da Zâmbia, financiado pela Finlândia, a plataforma interativa de aprendizagem foi desenvolvida com base no conhecimento coletivo de 150 empresas, decisores políticos, parceiros sociais e profissionais da área do desenvolvimento provenientes de mais de 25 países de África e do mundo, incluindo representantes da Parceria para a Ação pela Economia Verde (Partnership for Green Economy, PAGE) e de SWITCH Africa Green.

“O ODS 8 trata de conciliar o que é bom para as pessoas e o que é bom para as empresas, hoje e para as gerações futuras”, afirmou o Diretor do Escritório da OIT para o País nas suas declarações finais. “Ao adotarem práticas sustentáveis, as empresas podem adquirir uma vantagem competitiva, incrementar a sua quota de mercado e aumentar o valor para os acionistas. Em simultâneo, a demanda crescente por produtos “verdes” gerou novos mercados importantes, onde ecoempreendedores perspicazes estão a colher frutos”.

Concluiu declarando “Nós não temos um Planeta B. Não temos, portanto, outra opção senão mudar a forma como nos desenvolvemos, como produzimos, como pressionamos os limites do planeta para nós e para as gerações futuras. Ser verde é o futuro. Os empregos verdes são o futuro”.

Ao participar em discussões temáticas e setoriais, os participantes usaram técnicas de aprendizagem “Future Foresighting” para identificar os vetores de mudança e aferir cenários complexos alternativos que os países poderão ter que enfrentar na transição para um crescimento verde e inclusivo.

Twitter - Matti Tervo‏ @METervo  Set 6 “Só os planos revolucionários são úteis para o futuro” #future #greenafricaforum #green #growth #jobs #development

Governança inclusiva, cumprimento das normas internacionais, investimentos em ecoinovação e tecnologias inteligentes, e alteração das leis nacionais foram identificados como alguns dos principais elementos impulsionadores para os países africanos acelerarem o seu percurso rumo ao desenvolvimento sustentável.

Os materiais de aprendizagem podem ser acedidos em linha em www.itcilo.org/africa-forum-2017 e a discussão continua em #greenafricaforum.

Fotos oficiais da abertura

Outras fotos

International Training Centre of the ILO

Viale Maestri del Lavoro, 10
10127 Turin - Italy

Contate-nos